Olimpíadas marcam a linha de chegada de um novo modelo de trem no Rio


Metrô-RJ

Por Angélica Fernandes | Jornal O Dia – RJ.

Rio – O ano em que o Rio sediará o maior evento esportivo do mundo, os Jogos Olímpicos, será também o da prova de fogo para o sistema ferroviário. Se tudo o que a SuperVia promete para 2016 sair efetivamente do papel, o estado passará a contar com um novo modelo de transporte de massa. Em dois anos, as viagens terão intervalos reduzidos pela metade, a frota dará um salto de 187 para 201 trens com ar-condicionado e seis estações serão reformadas nos padrões da atual Maracanã.

Ontem, O DIA iniciou a série de quatro reportagens sobre a SuperVia, em que serão tratados os investimentos no sistema ferroviário, comércio ilegal nos vagões, monitoramento nas estações, multas e reclamações dos passageiros. A modernização do sistema de sinalização da linha férrea é o primeiro passo para atingir a mudança do transporte. O ATP (Automatic Train Protection, que em português significa sistema de proteção automática), adquirido no ano passado por R$ 150 milhões, garante a redução pela metade do intervalo de todas as viagens.

Hoje, o sistema já está implantado em Deodoro, mas seu uso efetivo só vai ocorrer quando a frota estiver modernizada. Ou seja, a partir de 2016, o trem que demora de 8 a 10 minutos para passar, chegará em 4 a 5 minutos. Os ramais de Japeri e Santa Cruz recebem o ATP até o fim deste ano, já Saracuruna e Belford Roxo, até abril de 2015. “Estamos iniciando um processo de transformação. O trem ainda não é o transporte mais adequado, mas em breve será”, afirma a secretária estadual de Transportes, Tatiana Vaz.

Para atender aos padrões olímpicos, seis estações serão submetidas a intervenções drásticas. Todas receberão elevadores, novas rampas, plataformas e mezaninos. As obras, que seriam de responsabilidade da Secretaria Estadual de Transportes, passaram para as mãos da SuperVia na semana passada. A troca foi graças ao bônus de R$ 250 milhões conquistados pelo estado na compra de 90 novos trens em 2009 e 2011. Com esse valor em caixa, a secretaria resolveu comprar mais 10 trens, a serem licitados até o fim do ano, deixando para a concessionária, a reforma nas estações.

Supervia

O trunfo que abrilhantaria a transformação do sistema ferroviário em 2016 não será mais entregue. O projeto ousado que transformaria a Central do Brasil em um shopping foi embargado pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico), no mês passado. O órgão alega que as intervenções não correspondem à preservação do bem tombado. Novas alternativas serão discutidas, mas ainda sem data para acontecer.

Outra prioridade que também estava prevista para o ano das Olimpíadas, mas não sairá do papel, é a reimplantação do trecho de Santa Cruz-Itaguaí, desativado desde 1980. Por conta da ocupação irregular de domicílios por três quilômetros da linha férrea, a concessionária alega que é impossível começar as obras. O governo estadual vai elaborar, a partir do ano que vem, um novo projeto com o desvio da rota.

Contrato exige reforma em mais estações até 2015
De 2011 a 2013, cada passageiro representou para a SuperVia um investimento de R$ 1,82. A concessionária desembolsou R$ 800 milhões no transporte e atingiu a marca de 438.240 milhões de usuários neste período. O valor equivale a mais da metade da passagem dos trens, que na época era de R$ 2,90. Nos próximos sete anos, a meta é aplicar ainda mais R$ 1 bilhão. “Partimos de um cenário de total falta de investimento durante anos e já conseguimos um avanço histórico nos trens”, declara a secretária de Transportes.

Supervia2

De acordo com o contrato de concessão em vigor, até 2015, as estações Central, Madureira, Nova Iguaçu, São Cristóvão, Campo Grande, Queimados, Méier, Gramacho, Bangu, Austin, Santa Cruz e Duque de Caxias têm que se enquadrar aos padrões de acessibilidade e comodidade. Atualmente, a única que passa por obras, iniciadas no início deste ano, é São Cristóvão. As demais continuam com estruturas precárias. Em contrapartida, a SuperVia alega que, em três anos, reformou 14 estações. Da lista escolhida pela concessionária, no entanto, nenhuma era considerada prioridade contratual até 2015.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s