Ferrovia Catarinense completa 130 anos de história


Ferrovia Teresa CristinaA inauguração da Estrada de Ferro aconteceu em Tubarão

Amanda Garcia Ludwig – Engeplus

Ferrovia Catarinense completa 130 anos de história

Junto com o primeiro apito da Maria-Fumaça, pertencente a The Donna Thereza Christina Railway Company Limited, em 1º de setembro de 1884, toda região sul de Santa Catarina começou a trilhar os caminhos do desenvolvimento. A inauguração da Estrada de Ferro aconteceu em Tubarão e o nome, Tereza Cristina, foi uma homenagem à esposa do então imperador D. Pedro II.
Em seu início, com a exploração do carvão mineral na região de Lauro Müller, era necessário um meio de transporte para escoar o minério das carboníferas do Sul de Santa Catarina até o Porto de Imbituba. A construção iniciou em 1880, pela empresa James Perry Co, por meio do visionário Visconde de Barbacena, que após muitos estudos resolveu colocar em prática seu projeto. O investimento era inglês, mas a mão de obra empregada, era em sua maioria, de imigrantes italianos, que aportaram na região alguns anos antes. Começava aí uma grande história, que também enfrentou períodos difíceis.

O primeiro trecho de trilhos foi utilizado no mesmo ano da inauguração da ferrovia, porém não demorou muito para os ingleses perceberem que o carvão não serviria para ser exportado, a qualidade não era boa para os fins comerciais desejados. Era o início das muitas dificuldades que a Ferrovia sofreria. Mesmo assim, insistia em transportar o carvão. Por quase quatro décadas, o transporte de passageiros, animais e mercadorias foi a única fonte de renda da ferrovia.

A principal expectativa da FTC é a implantação dos projetos Ferrovia Litorânea e Ferrovia Leste-Oeste, que além de integrá-la à malha ferroviária nacional, se constituirão em importantes corredores de cargas, ao permitir ampliar o acesso ferroviário aos portos e ao extremo Oeste de Santa Catarina, contribuindo, significativamente, para o desenvolvimento do Estado. Essa ampliação proporcionará o transporte de muitos outros produtos como cerâmica, granéis agrícolas e minerais, fertilizantes, metalúrgicos e siderúrgicos, produtos frigorificados, madeiras e derivados, carga geral e contêineres. Produtos de extrema importância para a região de atuação, o país e o mundo.

    Estrutura Operacional
    164 km de linha férrea
    13 locomotivas
    466 vagões
    Monitoramento da frota via satélite
    Oficinas de manutenção de locomotivas, vagões e via férrea
    Acesso ao Porto de Imbituba
    Controle operacional, administração e Sistema de Ocorrências Ferroviárias, informatizados

Colaboração: Vanessa Mendes/Comunicação Ferrovia

Anúncios

Um comentário sobre “Ferrovia Catarinense completa 130 anos de história

  1. É AMPLIAR SEU SISTEMA COM BITOLA IRLANDEZA DE 1.60 M E AS RODAS A ENGENHARIA FERROVIÁRIA PRECISA CRIAR SISTEMA PARA ADAPTAR AS FERROVIAS DE METRAGEM INGLESA, PARA QUE POSSAMOS ENTRAR PELA ARGENTINA QUE TEM 1,433 APROX…E TERCEIRO TRILHO ENTRANDO NAS LINHAS DE 1 METRO, INTRODUZIDA NO BRASIL IMPÉRIO, ONDE AOS POUCOS O TRAÇADO VAI SENDO CORRIGIDO, A MEDIDA DO POSSÍVEL, TRANSPORDOS A MODA DOS PORTOS HOLANDESES…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s