Metrô provoca guerra de notas


PT e PSDB respondem “em tempo real”, por meio de comunicados, ataques de adversários

Por Larissa Arantes | Jornal “O Tempo”

Metrô-BHA expansão do metrô de Belo Horizonte voltou a ser motivo de troca de acusações entre as campanhas do PSDB e do PT ontem. O candidato tucano ao governo de Minas, Pimenta da Veiga, culpou o governo federal pela não execução das obras e afirmou que o PT diz “coisas desbaratadas e desculpas” para tentar justificar a atual situação do transporte sobre trilhos da capital. Horas depois, o PT respondeu Pimenta, por meio de nota, dizendo que a fala do tucano era “demonstração de desequilíbrio e desespero” por estar atrás nas pesquisas de intenção de voto.

Matéria relacionada: O Trem como solução para o Estado de São Paulo

Desde o início da campanha no Estado, essa tem sido uma postura constante dos partidos. Sempre que o adversário – ou as gestões estadual e federal – é alfinetado, “chovem” notas de resposta e contra-ataque. Ontem não foi diferente.

Pimenta da Veiga marcou coletiva na estação Santa Efigênia do metrô, na região Leste da capital, e afirmou que, se eleito, assumiria “a gestão do metrô”. “Diante da desídia do PT, do desinteresse do PT, do fato de que o governo do PT virou as costas para Minas e não cuidou do metrô, o próximo governador de Minas, sendo eu, nós iremos assumir o metrô”, completou.

O tucano não deu detalhes de como seria essa gestão e disse que pretende “criar uma estrutura para isso”. O Estado, porém, já tem a estrutura da Metrominas (Trem Metropolitano de Minas Gerais S/A), empresa criada com participação do governo estadual e das prefeituras de Belo Horizonte e Contagem para gerenciar as novas linhas do metrô.

Horas depois, por meio de nota, o PT estadual respondeu ao candidato tucano. “Longe de Minas Gerais nos últimos 20 anos, depois de abandonar a Prefeitura de Belo Horizonte com um ano de mandato e se estabelecer como fazendeiro em Goiás, Pimenta da Veiga revela, novamente, desconhecimento sobre a realidade do Estado”.

O texto afirma ainda que, no último dia 20 de agosto, em Belo Horizonte, a presidente Dilma Rousseff (PT) “esclareceu que o governo federal já liberou R$ 3,9 bilhões” para a expansão do transporte sobre trilos. “Sendo R$ 2,2 bilhões do orçamento da União e outros R$ 1,7 bilhão que são de financiamentos federais subsidiados”, diz a nota.

Detalhes. A reportagem procurou a assessoria da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), que responde pela Metrominas, para saber da atual situação do metrô. A Setop confirmou que o objetivo é que a Metrominas assuma o transporte futuramente, mas que aguarda a resposta do governo federal sobre a alteração da gestão para o Estado. “Após a transferência, a Metrominas passará a planejar, implantar, operar e explorar os serviços de transportes de passageiros sobre trilhos na região metropolitana de Belo Horizonte”, informou a pasta.

Estratégia

Intensificação. O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) desembarca em Belo Horizonte na próxima quinta-feira para um ato de campanha juntamente com Pimenta da Veiga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s