Locomotiva sob medida


locomotiva

Revista Época Negócios

O Brasil tem hoje uma extensão de nada menos que 23 mil quilômetros de ferrovias de bitola métrica (um metro de largura), o que representa praticamente 80% de toda a malha ferroviária do país. Apesar dessa proporção, não havia no mercado uma locomotiva de alta performance para atender às características únicas dessa bitola no país. A carência foi suprida com o lançamento da Evolution ES43BBi, desenvolvida pela GE Transportation. O modelo traz duas novidades para o setor: o uso da tecnologia de corrente alternada e oito eixos.

Com maior eficiência e emissão até 80% menor de poluentes, as máquinas entram em circulação a partir de 2016, graças ao primeiro contrato de fornecimento assinado com a Klabin. Sete locomotivas serão utilizadas no corredor de bitola métrica da Malha Sul, atualmente operado pela ALL (América Latina Logística). A chegada da Evolution representa um importante apoio para o desenvolvimento do Projeto Puma, que prevê a construção de uma fábrica de celulose com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas anuais. As locomotivas irão transportar a produção de celulose da nova fábrica para Paranaguá, no Estado do Paraná, onde está o maior porto de exportação para produtos agrícolas do país.

A unidade de fabricação de celulose da Klabin só entra em operação em 2016, mas as primeiras locomotivas serão entregues para testes já no segundo trimestre de 2015. Além das locomotivas, a GE também irá prover assistência técnica e treinamento aos funcionários da Klabin e da ALL envolvidos na operação da Evolution ES43BBi.

Mais eficiência, menos poluição
O projeto da Evolution se baseia nos conceitos da bem-sucedida locomotiva Dash9 (de 8 eixos), agregando, contudo, novas tecnologias como tração de corrente alternada, controle de eixo individual e motor diesel Evolution. Essas inovações resultaram em uma locomotiva com mais esforço trator e melhor eficiência. “Por ter sido desenvolvida de acordo com as necessidades do mercado brasileiro, a Evolution ES43BBi permite o transporte de quantidades maiores de carga associado a custos menores decorrentes de sua operação“, afirma Marc Flammia, Diretor de Tecnologia da GE Transportation.

Duas ES43BBi podem substituir de três a cinco máquinas com seis eixos. O novo modelo de locomotiva da GE, além de mais eficiente, terá índice de nacionalização superior a 60%.

Sucesso na nacionalização
Embora a privatização das linhas ferroviárias brasileiras a partir de 1997 tenha revitalizado o setor, que declinava desde o início dos anos 60, o cenário econômico ainda não indicava a viabilidade de se fabricar locomotivas no Brasil. Como consequência, importar máquinas fabricadas no exterior sempre foi a opção mais utilizada no país.

A GE Transportation, porém, identificou que a produção local de locomotivas seria viável (e teria até potencial de exportação a custos competitivos) graças a oportunidades associadas à mudança da matriz de transportes e à revitalização da indústria ferroviária nacional – associada à ampliação do comércio de produtos que demandam esse tipo de transporte, como minérios e produção agrícola. A companhia então se associou ao Plano de Nacionalização Progressiva, do BNDES, para produzir uma máquina nacional competitiva, sendo a primeira a obter aprovação de créditos para realizar o PNP.

Essa parceria de longo prazo com o BNDES inclui a incorporação de componentes nacionais, como alternadores, compressores, motores de tração, cabines, plataformas, entre outros. Ao longo dos cinco anos necessários para a execução do primeiro projeto, foram investidos mais de US$ 26 milhões em recursos tangíveis (físicos) e intangíveis. Outros US$ 65 milhões foram empenhados em compras de componentes no Brasil – equivalendo a 63% de nacionalização, um índice superior ao mínimo obrigatório de 60%, exigido pelo BNDES.

O resultado foi o lançamento da AC44, a primeira locomotiva nacional de grande porte e alto desempenho, fabricada a partir de 2013 na unidade de Contagem (MG). A AC44 é uma locomotiva diesel-elétrica, com motor de tração de corrente alternada (AC) e maior potência. Destinada a ferrovias com bitolas largas, até então essa máquina era inédita no mercado brasileiro, que utilizava modelos de menor porte, com motor de tração de corrente contínua (DC), aptos para ferrovias com bitola métrica.

Resultados e planos futuros
Como consequência desta iniciativa da GE Transportation, toda a cadeia produtiva do setor ferroviário cresceu para sustentar a fabricação de locomotivas novas, depois de décadas de estagnação. Nada menos que 56 fornecedores nacionais, de diferentes setores e estados brasileiros, participaram do projeto, absorvendo investimentos de cerca de US$ 20 milhões. Além disso, a nacionalização proporcionou a criação de 1.100 postos de trabalho diretos e indiretos e a capacitação de engenheiros para atuar no mercado ferroviário.

O sucesso do primeiro projeto incentivou a GE a adotar uma nova iniciativa: a produção local da locomotiva modelo Dash9 para bitola métrica, a única da categoria equipada com tanque de combustível com capacidade de 15 mil litros, também adequada ao perfil da malha ferroviária brasileira. Os 56 fornecedores capacitados no primeiro plano estarão envolvidos no processo de produção.

Barômetro Global da Inovação 2014 – Capítulo Brasil
A terceira edição da pesquisa, a ser lançada oficialmente pela GE nesta segunda-feira (08/12), leva em conta as percepções de 200 líderes brasileiros, dentre 3,2 mil executivos de grandes companhias, em 26 países. Temas como a inovação adaptada a características locais (um processo que também é conhecido como “glocalização”) serão parte do Inova+, evento em que é divulgado o Capítulo Brasil do Barômetro Global da Inovação 2014 e que, neste ano, é realizado sob o formato de YouTube Live. O objetivo do estudo é investigar os caminhos para que se inove mais e melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s