Alckmin acha difícil nova licitação da Linha 4 sair este mês


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou nesta segunda, 3, que crê ser muito otimismo que a nova licitação para a Linha 4-Amarela do Metrô saia ainda este mês. “seria menos de um mês para relicitar. Vamos tentar. Sera relicitado o mais rápido possível”, afirmou.

#metrosp

Com relação a multa que deve ser aplicada ao consórcio Isolux-Corsán-Corviam, Alckmin disse que o valor deve ser 10% do valor da obra. “infelizmente o consórcio Isolux-Corsán-Corviam ganhou os dois lotes e só conseguiu entregar uma estação, que foi a Fradique Coutinho. Uma hora não tinha funcionário e quando tinha funcionário não tinha material de trabalho”, emendou.

O governador lembrou que ainda propos ao consórcio para tocarem as obras de pelo menos Oscar Freire e Higienópolis-Mackenzie e lamenta que se perdeu quatro meses nisso e não houve avanços.

Imagem: Digna Imagem/Clóvis Ferreira

Autor: Renato Lobo // Via Trolebus (www.viatrolebus.com.br)

Anúncios

63% dos usuários do Metrô de SP dizem ter carro


Fernando Moraes | Veja-São Paulo

Linha 4São Paulo – O professor de Matemática Nelson Imagore, de 48 anos, não precisou fazer muitas contas para deixar o carro na garagem e ter uma rotina menos estressante em São Paulo. Morador da Vila Sônia, na zona sul da capital, ele trocou o trânsito congestionado da cidade pelas viagens de metrô, como mais da metade dos passageiros da companhia.

De acordo com uma pesquisa feita pela Companhia do Metropolitano (Metrô) em 2014, 63% dos 4,7 milhões de passageiros transportados diariamente têm carro em casa, mas preferem os trilhos. A companhia ouviu 7 mil passageiros. A pesquisa mostra ainda que nem os que não têm carro trocariam o automóvel pelo metrô se pudessem, uma vez que 74% das pessoas com esse perfil também preferem os trilhos.

“O metrô é lotado, as estações têm cada vez mais gente, mas a viagem é mais curta. Eu consigo me programar. É claro que os motoristas querem usar o metrô. O resultado da pesquisa é óbvio”, afirmou Imagore, que criticou o planejamento do poder público em expandir o transporte público. Hoje, o metrô de São Paulo tem 74 quilômetros de extensão.

O professor de Matemática trabalha na Vila Mariana, zona sul da cidade. Na volta para casa, se optasse pelo carro, demoraria cerca de uma hora e meia até a Vila Sônia.

A psicóloga Nathalia Gimenez, de 25 anos, fez a mesma conta. “É tanto tempo dentro do carro que chega a doer o corpo ficar sentada esse tempo todo”, disse a passageira, que mora ao lado da Estação Guilhermina-Esperança, da Linha 3-Vermelha, zona leste. e leva 40 minutos de metrô até o trabalho, no Paraíso, zona sul. De carro, a viagem levaria duas horas.

“Os passageiros escolhem ter tempo, em detrimento do conforto do ar-condicionado”, explicou Cecília Guedes, chefe do Departamento de Relações com o Cliente do Metrô.

A pesquisa revela ainda que 46% desses passageiros deixam o carro em casa justamente pela maior velocidade do transporte sobre trilhos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Metro-North e o trem que roda em terceiro trilho e catenária


Por Renato Lobo | metro-northVia Trolebus

Em um sistema de transporte sobre trilhos, a alimentação elétrica geralmente é diferenciada por duas tenologias distintas: a alimentação pelo terceiro trilho, a exemplo em parte do Metrô de São Paulo (Linhas 1, 2 e 3), Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Existe também a alimentação por rede área, presente na CPTM, Linhas 4 e 5 do Metrô paulistano, além de outros sistemas brasileiros, como Trensurb e CBTU.

metro-northEsta diferença teoricamente impede que as composições que usam o terceiro trilho, trafeguem por ferrovias com rede aérea. Mas, um sistema dos Estado Unidos possuí tecnologia para trafegar pelas duas configurações: o Metro-North, um serviço ferroviário suburbano no estado de Nova Iorque administrado pela Metropolitan Transportation Authority (MTA), uma autoridade pública de transportes.

É considerada a malha ferroviária suburbana mais movimentada do país em termos de número de passageiros mensais. A linha de New Haven possui composições que utilizam tanto o terceiro trilho quanto a catenária. O trecho entre Woodlawn até Pelham com 4,8 km é dotado de terceiro trilho, enquanto a partir de Pelham por um trecho de 93 km, os trens trafegam sob a rede aérea.

Os trens trocam de alimentação em movimento, conforme o vídeo abaixo:

Algumas linhas da malha usam também trens a diesel, como o serviço leste de Hudson. A malha no total possuí 122 estações, cinco linhas que percorrem 620 km de trilhos. O Metro-North iniciou as atividades em 1983.

magens de Peter Ehrlich

CAMPANHAS SALARIAIS: Funcionários do Metrô e da CPTM suspendem greve e insistirão em negociações


Categorias tinham paralisação marcada para esta quarta-feira (27). Tribunal pediu que as partes mantenham a negociação

Metroviários

Por Rodrigo Gomes | Rede Brasil Atual

São Paulo – Em assembleias realizadas na noite desta terça-feira (26), os trabalhadores da Companhia do Metropolitano (Metrô) e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) decidiram adiar as greves marcadas para esta quarta-feira (27). As categorias resolveram aguardar o resultado das reuniões agendadas para a semana que vem, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, que está intermediando as negociações. O TRT marcou novas reuniões para segunda-feira (1º) para o Metrô e no dia seguinte para a CPTM. Se nesses encontros as propostas não evoluírem, as categorias podem decidir pela paralisação.

Em audiência de conciliação hoje pela manhã no TRT, a CPTM melhorou a proposta de reajuste salarial, de 6,65% para 7,72%, aplicável a todos os benefícios. O desembargador Wilson Fernandes pediu que a CPTM avalie aplicar mais 0,5 ponto percentual somente aos benefícios, para se aproximar do índice sugerido por ele na véspera (25), de 8,25% de reajuste.

Os ferroviários indicaram concordaram com a proposta apresentado pelo TRT nem com a forma pouco criteriosa com que foi levada à mesa. E decidiram apresentar uma contraproposta: reposição correspondente ao INPC (8,34% em 12 meses, até abril) acrescida de 1,5% de aumento real, para os salários e o Programa de Participação nos Resultados (PPR); e equiparação dos vales alimentação e refeição aos pagos pelo Metrô. Essa posição será discutida em nova audiência marcada para a próxima terça-feira (2) no tribunal, e o resultado será avaliado em assembleias no mesmo dia.

Novo patamar
Para efetivar a equiparação como os trabalhadores do Metrô, o VA teria de ser corrigido em cerca de R$ 50 e o VR, em R$ 30. Como são três sindicatos – Ferroviários de São Paulo, da Zona Sorocabana e da Central do Brasil –, as assembleias seriam realizadas em locais diferentes. Atualmente, os ferroviários recebem R$ 600 de vale-refeição e R$ 247 de vale-alimentação.

Os metroviários reivindicam reajuste salarial de 18,64%. O Metrô ofereceu 7,21%, referente à variação acumulada do IPC-Fipe. O TRT sugeriu 8,82%, mas o Metrô não aceitou. A assembleia decidiu suspender a decretação da greve e insistir na negociação. Segundo o presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, a proposta foi considerada insuficiente, mas criou um novo patamar de negociação. “Queremos avançar em vários pontos e o Metrô tem condições para isso”, disse. A data-base da categoria é 1º de maio.

Ambas as categorias mantêm o indicativo de greve. Os metroviários para terça-feira (2) e os ferroviários para o dia seguinte. Os sindicatos têm contra si liminares expedidas pelo TRT, respondendo a pedido das companhias, que limitam a paralisação dos trabalhadores.

Na assembleia da última quarta-feira (20) os metroviários foram surpreendidos por dois oficiais de Justiça, mandados pelo TRT, com uma liminar determinando que, caso entrassem em greve, deviam manter 100% dos trabalhadores nos horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e 70% no restante do dia. Para a categoria, essa determinação é o mesmo que proibir a greve, pois corresponde ao funcionamento normal do Metrô.

Na sexta-feira (22), o TRT concedeu liminar à CPTM, proibindo a liberação de catracas pelos trabalhadores e determinando um contingente mínimo em operação em caso de greve. Nos horários de pico, deve ser mantido 90% do efetivo de maquinistas e 70% das demais atividades – e 60% de todos os trabalhadores nos demais horários.

Túneis da Linha 4 do Metrô Rio recebem trilhos


Metrô-Rio - túnelOs túneis da Linha 4 já recebem os primeiros trilhos. Nas imagens abaixo é possível ver a montagem da via permanente entre General Osório e a futura Estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. De acordo com a empresa responsável pela obra foram instalados mais de 300 metros de trilhos nesse primeiro trecho construído pelo ‘Tatuzão’, que agora escava sob a Rua Visconde de Pirajá em direção ao Jardim de Alah.

Metrô-Rio - túnel2Segundo ainda a empresa, a instalação de trilhos no maior bitúnel entre estações de metrô do mundo escavado em rocha, no trecho entre a Barra e São Conrado, já foi concluída. Agora a empresa posiciona os dormentes e soldar os trilhos no túnel que seguirá de São Conrado para o Leblon.

Metrô-Rio - túnel3

A Linha 4 vai ligar a Barra a Ipanema, em apenas 13 minutos. Da Barra ao Centro, o trajeto será feito em 34 minutos.

Imagens de Katarine Almeida – Kaptimagem

Por Renato Lobo | Via Trolebus

País bate recorde de passageiros em trens e metrôs em 2014, diz ANPTrilhos


Estadão Conteúdo/Redação Folha Vitória

Trens e metrôs

Brasília – Os trens e metrôs transportaram 2,9 bilhões de passageiros em 2014, com média diária de 9,8 milhões. Foi um recorde e um acréscimo em relação a 2010, quando foi transportado 1,9 bilhão. A média de crescimento de lá para cá foi de 10% ao ano, mas isso mudou em 2014. No ano passado, o números de passageiros cresceu 4,4%. “Esses números mostram que o setor passa por um congestionamento”, disse a superintendente da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), Roberta Marchesi.

Continuar lendo

Prevista para 2017, Linha 2 do metrô terá 13 estações e 23 km


G1 detalhou como estão as obras do sistema metroviário.
Trajeto do Acesso Norte, na capital, até Lauro será feito em 31 minutos.

Ruan Melo | Do G1 BA

Estação Salvador

Serão 13 estações, cinco terminais de integração com ônibus e 23 quilômetros de extensão percorridos em 31 minutos em qualquer hora do dia. Este é o projeto da Linha 2 do metrô de Salvador, que está em construção e envolve, atualmente, 755 trabalhadores, dos 7 mil previstos nos momentos de maior volume.

Continuar lendo