Grupo Libra inicia transporte ferroviário de contêineres


Previsão é de que, até o fim do ano, operações entre margens sejam feitas pelos trilhos

#TRANSPORTE

Para oferecer maior confiabilidade e reduzir os custos do serviço, o Grupo Libra começou a movimentar contêineres entre as duas margens do Porto de Santos por meio de trens. A meta, até o próximo ano, é utilizar apenas o modal para esse tipo de operação, que hoje corresponde a 15% dos serviços.

Uma parceria com a MRS Logística possibilitou o início destas operações no último mês. Até o momento, já foram movimentadas 50 contêineres provenientes da Libra Logística Terminal, o Terminal do Valongo (Teval), na Margem Direita, até as instalações da Santos Brasil e da Embraport, que ficam na Margem Esquerda, em Guarujá e na Área Continental de Santos, respectivamente.

Dos 3 mil contêineres operados mensalmente no Teval, ao menos 700 têm como destino instalações do outro lado do Estuário. O objetivo do diretor geral do segmento logístico do Grupo, Daniel Brugioni, é de que até o final do próximo ano toda a operação do tipo seja realizada por composições.

Com a novidade, a ideia é reduzir riscos e aumentar a produtividade. “Temos dois novos terminais (Brasil Terminal Portuário e Embraport) em funcionamento no Porto, aumentando a movimentação de cargas. Apesar disso, nossas estradas permanecem as mesmas e com os mesmos problemas”, afirma o diretor.

Brugioni estima que a utilização dos trens possa reduzir em até 12% os custos operacionais que envolvem o transporte de carga entre as margens, além de diminuir a emissão de gases poluentes de caminhões. “É uma escolha que requer planejamento, mas dá confiabilidade ao sistema”.

Crescimento

Atualmente, o Teval opera por mês 2 mil contêineres abaixo da capacidade instalada total. Ao oferecer esse tipo de serviço ao cliente, Daniel Brugioni espera também crescimento nas operações do terminal, que hoje é especializado na movimentação de cargas de projeto (como pás eólicas, por exemplo).

O potencial não explorado, de acordo com o diretor, está nas cargas de importação. A expectativa é de que abocanhar essa fatia do mercado não seja tão fácil quanto se imaginava antes. “Os números mostram que, devido à crise, esse é um setor que mais está sendo prejudicado em Santos”.

Apesar disso, ele mantém a previsão de cenário positivo para o final de 2016, ao querer movimentar entre as margens até 1.500 contêineres por mês. Até lá, a intenção é de que o Teval possa já explorar 80% do modal em todas as operações. Hoje, as composições e os caminhões dividem igualmente (50% cada) a participação.

“O Terminal do Valongo tem o perfil ferroviário e isso é um diferencial entre os que movimentam contêineres na Margem Direita”, diz Brugioni. Hoje, as cargas que chegam por trilhos são provenientes do interior do Estado. Além de commodities conteinerizadas, a celulose também está entre as mercadorias.

A Tribuna

Erro humano provocou a colisão de dois trens em Cubatão


Dois maquinistas ficaram feridos, mas sem gravidade

Tribuna de Santos

Acidente ferroviário

Sequência de erros cometidos pelos maquinistas teria provocado a colisão de dois trens de carga, próximo à Vila São José, em Cubatão. A conclusão consta no laudo de inquérito preliminar, conduzido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e obtido com exclusividade por A Tribuna. Passados noventa dias do acidente, o órgão federal ainda não é taxativo quanto ao que provocou a batida.

Continuar lendo

MRS revitalizou 46 passagens em nível


Para garantir a segurança ferroviária, a MRS investiu em 2014, cerca de R$ 5 milhões em obras de eliminação de interferências, entre elas a construção de viadutos e passarelas, e sete quilômetros de linha férrea que foram vedados em pontos críticos.

mrs-passagem de nível

Apesar disso, ainda existem muitos pontos nos quais pedestres, veículos e ferrovia convivem no mesmo espaço. Para garantir a segurança nesses locais, a MRS revitalizou, em 2014, 46 passagens em nível ao longo de toda a malha, o investimento de R$ 3,5 milhões fez parte de um Plano Plurianual, aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e terá continuidade nos próximos anos.

Continuar lendo

Cetesb multa em R$ 100 mil empresa responsável por trens que bateram


Penalidade se deu por conta de vazamento de 8 mil litros de óleo diesel.
Choque entre trens ocorreu no dia 31 de outubro em Cubatão, SP.

Do G1 Santos

Acidente SerraA Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) multou a América Latina Logística (ALL) em R$ 100 mil, por conta do vazamento de cerca de 8 mil litros de óleo diesel para o sistema de galeria de águas pluviais na Avenida Tancredo Neves, em Cubatão (SP). A penalidade se deu também pelo derramamento de milho na área de mangue e pelos incômodos à população. Os danos foram provocados depois que dois trens se chocaram no local, no dia 31 de outubro.

Continuar lendo

Trens de carga da MRS batem de frente em Cubatão


BatidaCom a batida, cerca de 8 mil litros de óleo de um dos vagões foram derramados, atingindo a Avenida Tancredo de Almeida Neves, na Vila São José, escorrendo por suas galerias pluviais

Dois trens de carga bateram de frente na manhã desta sexta-feira, 31, por volta das 7h45. Os trens são da operadora MRS Logística, mas parte dos vagões era da concorrente, ALL. As causas da colisão ainda são apuradas. Os maquinistas de ambas as composições foram levados à Santa Casa de Cubatão (SP), em estado de choque, mas sem ferimentos graves.

Continuar lendo

Suzano quer trem de passageiros no Distrito de Palmeiras


Por Renato Lobo | Via Trolebus.

MRS Logística #noticiaferroviaria-3Não é nova a reivindicação por parte de moradores do bairro de Cesar de Souza, na cidade de Mogi das Cruzes, em ter um serviço de trem metropolitano, onde é proposto uma extensão operacional após a estação Estudantes na Linha 11-Coral da CPTM. Agora, uma nova frente de moradores pede também uma extensão operacional na cidade de Suzano.

Matéria relacionada:

Continuar lendo

Cade arquiva processo sobre MRS Logística e porto de Sepetiba


MRS Logística

Por Lucas Marchesini | Valor Econômico

Brasília – O processo administrativo que investigava uma possível conduta antieconômica da Companhia Portuária Baía de Sepetiba e da MRS Logística foi arquivado nesta quarta-feira pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Continuar lendo