Trem do Pantanal fracassa seis anos depois e empresa suspende passeio


trem_pantanalDepois de reduzir o percurso do Trem do Pantanal na tentativa de torná-lo mais atrativo, a Serra Verde Express resolveu suspender a atração turística. A empresa não falou o motivo da desativação e afirmou que aguarda reunião com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para resolver questões determinantes para a retomada das atividades.

Continuar lendo

Anúncios

Trem da Serra Verde Express é qualificado como principal produto turístico regional do Paraná


trem turístico do paranáPesquisa realizada no setor de Ciências da Terra da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2014, qualificou o trem da Serra do Mar Paranaense, da Serra Verde Express, como o mais representativo produto turístico regional do Estado.

Com base nos roteiros oferecidos nas principais agências de turismo do Estado, todas cadastradas na Secretaria de Esporte e Turismo (SETU), foi realizada análise de mercado dos produtos que integram mais de um município. A pesquisa, desenvolvida para o programa de mestrado em Geografia da UFPR, avaliou 22 agências, 69 roteiros e englobou, ainda, entrevistas com autoridades dos municípios ligados às atividades dos trens da Serra Verde Express, no Paraná, assim como representantes de empresas privadas e gestores públicos na administração Estadual. Continuar lendo

Miranda recebe lançamento regional do projeto “Trem é Turismo”


Iniciativa nacional da ABOTtC e do Sebrae desenvolver empreendimentos turísticos através do setor férreo.
Trem do Pantanal #noticiaferroviariaA Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais (ABOTtC) e o Sebrae lançam no estado na segunda-feira, 15 de setembro, o projeto “Trem é Turismo”, iniciativa desenvolvida nacionalmente pelas duas entidades.

Em Mato Grosso do Sul, foi selecionado o “Trem do Pantanal”, administrado pela empresa Serra Verde Express – Trens e Receptivo, que junto com a ABOTtC e o Sebrae realiza o evento às 19h30, na Querência Pantaneira (BR 262), em Miranda. A iniciativa regional conta com o apoio da Prefeitura Municipal e da Câmara Empresarial de Turismo da cidade; e também da Prefeitura e da Fundação de Turismo de Aquidauana.

Continuar lendo

A ferrovia, as cidades e o território


Paisagem ferroviária e patrimônio cultural edificado no trecho Erechim-Piratuba da antiga estrada de ferro São Paulo–Rio Grande

Memória Ferrovia

Rio Uruguai, ponte férrea e a cidade de Marcelino Ramos 

Por Matheus José Rigon, Camila Fujita e Ana Laura Vianna Villela | Vitruvius

 Fotos: Matheus Rigon

Nos discursos recentes em torno da paisagem e patrimônio cultural, tem assumido importante reconhecimento o caráter do sistema ferroviário enquanto elemento determinante à constituição de paisagens culturais, pela sua contribuição decisiva, ao longo da história, à estruturação do território, produção de cidades e difusão de influências em termos arquitetônicos, urbanísticos e modos de vida. Inúmeras localidades Brasil afora surgiram e desenvolveram-se em função da instalação de ferrovias e da conectividade espacial por elas proporcionada: este é o caso do território conformado no percurso férreo de 98 km entre as cidades de Piratuba (SC) e Erechim (RS), desbravado a partir da instalação da Estrada de Ferro São Paulo – Rio Grande, ferrovia construída entre 1890 e 1910 e que constituiu, durante várias décadas, a mais importante conexão terrestre entre o eixo Rio-São Paulo, o extremo sul do Brasil e países do Prata – Argentina e Uruguai (1).

Continuar lendo

Falta de investimento da ALL tira Trem do Pantanal do trilho


trem do pantanal

A falta de investimentos da América Latina Logística S.A (ALL) na malha ferroviária do Trem do Pantanal resultou no fim do roteiro turístico Campo Grande – Miranda. De agora em diante, a locomotiva sai da estação de Aquidauana com destino a cidade de Miranda, distância de 71 quilômetros. A informação é do jornal Correio do Estado.

A reportagem de Celso Bejarano mostra que, sem reparo adequado, a composição andava devagar demais, contrariando as normas da Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, daí a modificação no projeto.

Continuar lendo

Falta de investimento da ALL tira Trem do Pantanal do trilho


trem do pantanal

A falta de investimentos da América Latina Logística S.A (ALL) na malha ferroviária do Trem do Pantanal resultou no fim do roteiro turístico Campo Grande – Miranda. De agora em diante, a locomotiva sai da estação de Aquidauana com destino a cidade de Miranda, distância de 71 quilômetros. A informação é do jornal Correio do Estado.

A reportagem de Celso Bejarano mostra que, sem reparo adequado, a composição andava devagar demais, contrariando as normas da Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, daí a modificação no projeto.

O comando da Serra Verde Express, que explora o trem turístico, ainda não se manifestou oficialmente acerca da exclusão de Campo Grande. A assessoria de comunicação da empresa, cuja sede fica em Curitiba, capital do Paraná, pediu que fossem enviados os questionamento por e-mail, mas informou depois que as respostas só viriam com o retorno do presidente da companhia, em viagem.

Campo Grande foi excluído da rota e não há nenhum estudo apurado assegurando que a Capital volte a ser o ponto inicial do passeio de 220 km, reconquistado cinco anos atrás para que os turistas tivessem a oportunidade de “apreciar e degustar” as belezas do Pantanal, segundo palavras de Lula.

A Agência Brasil, órgão de comunicação do governo brasileiro, publicou texto na reinauguração do Trem do Pantanal que o custo total do projeto foi de R$ 44 milhões, dinheiro saído dos cofres do Ministério do Turismo, governo estadual e da iniciativa privada.

Correio do Estado