Contrato de sistema integrado de transporte do VLT, em Santos e São Vicente será assinado nesta terça-feira


Quatro estações do VLT, em Santos e São Vicente, serão inauguradas com presença do governador

VLT-Santos

GUSTAVO T. DE MIRANDA DE A TRIBUNA ON-LINE

Nesta terça-feira (23) será dada a largada para a reta final da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Santos e São Vicente, com a assinatura do contrato para celebrar a Parceria Público-Privada (PPP) da operação do Sistema Integrado Metropolitano (SIM).

O contrato compreende a prestação de serviços públicos de transporte urbano coletivo intermunicipal por ônibus, VLT e demais veículos de baixa e média capacidade. A PPP envolve a operação nos nove municípios da Baixada Santista.

O documento será assinado pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e o Consórcio BR Mobilidade Baixada Santista, formado pela Viação Piracicabana e Comporte Participações S/A, que venceu a licitação internacional da operação.

O modelo de operação estabeleceu que o Governo Estadual executaria obras de engenharia e sistemas de comunicação e sinalização. O parceiro privado se encarrega, a partir de agora, do gerenciamento do sistema de transporte público das nove cidades da região.

O INVESTIMENTO previsto é de R$ 5,6 bilhões pelo prazo de 20 anos, sendo R$ 666 milhões vindos da iniciativa privada. O trecho entre o Terminal Barreiros e o Terminal Porto terá 11 quilômetros de extensão e 15 estações. Segundo a EMTU, esse trecho inicial tem 95% das obras concluídas em São Vicente e 60% em Santos.

Também nesta terça-feira haverá a entrega de mais quatro estações do VLT: Nossa Senhora de Lourdes e Pinheiro Machado, incluindo o Túnel José Menino, em Santos, e Itararé e João Ribeiro, em São Vicente. A solenidade terá a presença do governador Geraldo Alckmin e outras autoridades.

Na semana passada, a EMTU retomou as obras na Avenida Francisco Glicério, no trecho entre o Canal 1 e a Avenida Conselheiro Nébias, em Santos, onde os trabalhos ficaram paralisados por três meses por decisão da Justiça, que havia atendido pedido do Ministério Público. No último dia 12, porém, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Francisco Falcão, suspendeu a liminar (decisão provisória) que havia determinado a suspensão das atividades.

Depois de muitas prorrogações, a nova data de início da operação comercial do VLT, no trecho entre Santos e São Vicente, é dezembro deste ano.

Anúncios

Testes com VLT em Santos começarão em 10 de junho


VLT SantosO Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) chegará a Santos em junho. As obras no túnel do José Menino, para a ligação com São Vicente, acabaram no último sábado (30). Em duas semanas, ficarão prontas as instalações elétricas e serão feitos testes, diz o gerente de Implantação de Sistemas da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), Carlos Romão Martins.

A previsão da empresa é de que a partir do próximo dia 10 o trem rode até as estações Nossa Senhora de Lourdes, no José Menino, e Pinheiro Machado, no cruzamento com o Canal 1, já em Santos.

Até agora, o VLT estava passando apenas por estações de São Vicente, mas a operação de testes foi suspensa por uma semana, justamente para fazer a interligação com Santos. Dois veículos rodavam, um em cada sentido, de segunda a sexta-feira, por sete das estações 15 previstas para o trecho Barreiros.

Para abrigar o VLT, o túnel do José Menino foi alargado. Serão dois pares de trilhos, para o trem fazer o trajeto de ida e volta por dentro da estrutura. A largura do túnel passou de 3,5 metros para oito metros. No comprimento, foram acrescidos mais 40 metros de cobertura na entrada e na saída. De 90 metros, a galeria tem agora 120 metros de comprimento.

Os trabalhadores contratados para as obras do VLT estão atuando quase que somente no túnel do José Menino, pois o trecho de São Vicente já está pronto, e o da Avenida Francisco Glicério, em Santos, paralisado pela Justiça.

A Tribuna // Revista Ferroviária

VLT de Cuiabá custou R$ 27 milhões a mais por km, diz professor em CPI


Laíse Lucatelli | Olhar Direto

VLT de CuiabáO doutor em engenharia e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Luiz Miguel de Miranda, afirmou que a obra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) custou R$ 27 milhões a mais por quilômetro do que o VLT do Rio de Janeiro. Na reunião desta quarta-feira (29) da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as obras da Copa, o engenheiro mostrou um quadro com o comparativo dos custos do modal em obras na capital mato-grossense e outras soluções de transporte de massa.

Continuar lendo

Trilhos do VLT modificam a paisagem da Zona Portuária


Angélica Fernandes | O Dia Online

Trilhos - paisagem RJRio – Entre os sete canteiros de obra espalhados pela Zona Portuária para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), uma nova paisagem surge no Centro do Rio: a de ruas compartilhadas com trilhos. Nos últimos 30 dias, mais de um quilômetro de linha férrea foi instalado para receber o novo transporte, que entra em operação em abril de 2016, com a inauguração do trecho entre a Rodoviária e o Aeroporto Santos Dumont.

Continuar lendo

VLT volta a circular na grande João Pessoa


VLT - JPO Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da região metropolitana voltou a circular na última quarta-feira (29), de acordo com o Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O trem volta a funcionar depois de danos causados por usuários serem consertados e da poda de árvores que atrapalhavam a passagem em um trecho de 1 km do percurso.

Continuar lendo

Prefeitura do Rio vai subsidiar VLT por 22 anos


Fernando Molica | O Dia Online

VLT-RJ

Rio – A prefeitura vai subsidiar, por 22 anos e seis meses, a operação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que ligará áreas do Centro. No fim de 2012, o gasto foi fixado em R$ 5,959 milhões mensais — o valor, hoje, já seria superior, pois o contrato prevê reajustes com base na inflação e no preço da eletricidade.

Continuar lendo

Parados há mais de um ano, vagões do VLT de Cuiabá passam por vistoria


Previsão é de que Veículo Leve sobre Trilhos só comece a rodar em 2018.
Vistoria foi feita para verificar as condições dos vagões estacionados.
Do G1 MT

Estacionadas há um ano e três meses no futuro centro de manutenção em Várzea Grande (cidade da região metropolitana de Cuiabá), as composições do metrô de superfície Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) passaram por vistoria na tarde desta quarta-feira (22) para averiguar as condições dos 40 vagões.

VLT de Cuiabá2

Vagões do VLT de Cuiabá e Várzea Grande foram vistoriados nesta quarta-feira. (Foto: André Souza / G1)

A vistoria foi realizada por comitivas do governo do estado e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e faz parte da conciliação entre o estado e o consórcio responsável pelas obras – licitadas por R$ 1,47 bilhão e que deveriam ter sido entregues em março de 2014. Hoje, a previsão é de que o modal só comece a funcionar em 2018.

Continuar lendo