Composições da ALL não têm freios de emergência em condições de funcionamento


Terceirização, equipamentos precários e jornada exaustiva são causa de acidentes, diz sindicalista

Rogério Pinto dos Santos e Chico Sardelli assistem apresentação powerpoint

Rogério Pinto dos Santos e Chico Sardelli assistem apresentação powerpoint

Nesta quarta-feira, 26/8, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os acidentes ocorridos no transporte ferroviário de carga no Estado de São Paulo, presidida pelo deputado Chico Sardelli (PV), ouviu Rogério Pinto dos Santos, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana, indicado por este sindicato, pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Mogiana e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias Paulistas.

As condições de trabalho dos trabalhadores ferroviários da ALL América Latina Logística Malha Paulista S.A., concessionária da malha ferroviária, muitas vezes são análogas à do trabalho escravo, afirmou o convidado da CPI. Jornadas de trabalho excessivas, descansos curtos, ausências de condições adequadas de trabalho têm causado constantes acidentes. Além disso, as locomotivas não possuem equipamento mínimo para atender às necessidades dos maquinistas: não há banheiros ou eles estão quebrados ou lacrados; não há água para o consumo, as locomotivas não são limpas, os bancos do condutor muitas vezes estão quebrados, entre outros graves problemas com os equipamentos. Ao maquinista resta utilizar jornais no chão ou garrafas PET para suas necessidades fisiológicas.

A terceirização dos serviços da atividade ferroviária foi apontada como uma das causas dos problemas, uma vez que as empresas contratadas muitas vezes não possuem conhecimento específico, há problemas de treinamento e especificações das atividades.

As condições das locomotivas também são motivo de preocupação, enfatizou Rogério Pinto dos Santos. Os freios de emergência não funcionam, há perda de resposta na aplicação dos freios e muitos vagões são isolados, ou seja, sequer possuem freios. A capacidade de frenagem perdeu em média 30% de eficiência com a atitude da ALL, conforme relatou o convidado. Acresce-se a isso o fato de que a dormentação está podre, há infiltrações, trilhos gastos e a limpeza da via é precária.

O depoente citou acidente ocorrido em 7/1/2013, em que o maquinista perdeu o freio na serra de Santos ao desmaiar na condução da locomotiva após 25 horas de serviço, causando colisão com outra locomotiva. A jornada de trabalho muitas vezes é de mais de 16 horas diárias, e os repousos não oferecem condições adequadas como silêncio, conforto, segurança e limpeza.

A ALL também adotou a monocondução ” extinguiu o auxiliar de maquinista “, ocasionando sobrejornada, atividade insalubre, estafa e acúmulo de função. O salário base do maquinista é de aproximadamente R$1.100,00, valor considerado pelos sindicatos muito abaixo do adequado diante das responsabilidades do trabalhador das ferrovias.

ferrovia
Há várias denúncias no Ministério do Trabalho e processos na Justiça para tentar resolver os graves problemas pelos quais passam os trabalhadores, informou o sindicalista. Cópias dos autos dos processos foram entregues aos deputados da CPI.

Estiveram presentes à reunião os deputados Chico Sardelli (PV), que a presidiu, e os deputados Roberto Massafera (PSDB), Abelardo Camarinha (PSB), Davi Zaia (PPS) e Delegado Olim (PP). A pauta da reunião, contudo, não foi apreciada uma vez que não houve quórum na abertura dos trabalhos.

Assembléia Legislativa de São Paulo

Ocioso, Trem Caipira vai ganhar computador


Trem caipira Trem Caipira (vermelho, ao fundo) parado em pátio da ALL: mais R$ 1 milhão até que comece a funcionar

Larissa de Oliveira | Diário Web

Ainda sem data definida para entrar em atividade e com apenas dois passeios no “currículo”, o Trem Caipira continua a sugar mais verba pública, além dos R$ 819 mil gastos quando da sua compra, há seis anos. A Prefeitura de Rio Preto acaba de adquirir dois computadores de bordo a um custo de R$ 105 mil, ainda que não se saiba quando serão ligados. O despacho com aquisição dos equipamentos, que custam R$ 52,6 mil cada, foi publicado ontem no Diário Oficial do município.

De acordo com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Negócios de Turismo, Alex Sandro de Carvalho, a compra dos computadores é uma das exigências da concessionária América Latina Logística (ALL) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para a circulação do trem turístico. “O VLT (veículo leve sobre trilho) precisa de dois computadores por ser veículo motriz, bidirecional, ou seja, possui duas cabines de comando. Ele é o único que condiz com a tecnologia do Centro de Controle Operacional da ALL”, diz o secretário.

A Prefeitura pagará os R$ 105,2 mil à Araucária Rail Technology Ltda, empresa que ganhou a licitação. Ela ficará responsável pelo fornecimento e instalação dos equipamentos, além da do software para funcionamento. O prazo para concluir o trabalho é de 90 dias. Mesmo assim, o Trem Caipira só entrará em operação quando todas as exigências da ALL e da ANTT forem cumpridas. A Prefeitura estima investir pelo menos mais de R$ 1 milhão no projeto, que prevê passeios entre Rio Preto e Engenheiro Schmitt.

Plano de ação

Segundo o secretário, uma empresa será contratada pela elaborar o Plano de Ação de Emergência (PAE). Essa é mais uma exigência para poder operar o trem turístico no trecho de 10,5 quilômetros, distância entre a estação ferroviária em Rio Preto e o distrito. “Foi refeito o processo de orçamentos, necessário para incluir os treinamentos da equipe responsável pelas ações de emergência”, afirma Carvalho.

Além disso, acordo firmado entre a ALL, Prefeitura e ANTT estabelece que o município terá que adquirir e instalar dois AMV’s (Aparelhos de Mudança de Via). O sistema possibilitará a manobra do Trem Caipira no trajeto. O valor destinado para esse item é quase o mesmo liberado pelo Ministério do Turismo – R$ 819 mil – para o município comprar a composição e o vagão. A Prefeitura também está definindo a equipe de monitores, chefes e maquinistas do trem. Além da contratação de empresa para manutenção e emissão de laudos mensais de avaliação.

O município precisa ainda finalizar a reforma da estação de Schmitt, onde será montado o Museu do Caipira, e obter a autorização da ALL para guardar o trem em um galpão da concessionária. Atualmente ele está em um pátio da concessionária, no Parque Industrial.

Com ferrovia, custo para os agricultores cairia até 30%


Ferrovia-Tremall #noticiaferroviariaAlto custo para transporte através de rodovias tem estrangulado o orçamento de pequenos empresários

Paula Cristina | DCI – Diário Comércio Indústria & Serviços

São Paulo – O apoio majoritário do transporte de cargas via rodovia vem encarecendo os custos do pequeno e médio agricultor. A perspectiva de empresários é que a mudança para o modal ferroviário poderia diminuir as despesas operacionais em até 30%, ampliando a competitividade do setor.

Continuar lendo

Araraquara: MP firma compromisso com ALL para resolver segurança


Linha Férrea #noticiaferroviariaO Ministério Público Federal (MPF) firmou compromisso, em reunião realizada no último dia 5 de setembro na sede da Justiça Federal em Araraquara, com representantes da América Latina Logística (ALL), da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e representantes de municípios da região para solucionar questões relativas à segurança das ferrovias locais.

Leia tambem: O Trem como solução para o Estado de São Paulo

Continuar lendo

Tragédia na ferrovia faz 4 anos sem prazo para indenizações


Ações movidas por famílias de vítimas da colisão na linha do trem seguem em tramitação

Por Gustavo Abdel | Correio Popular de Campinas

Acidente Ferroviário em Americana #noticiaferroviaria

“O que mais faz falta quando chego em casa é da alegria que ela transmitia para gente, e das risadas altas.” A declaração é do pintor Matheus Henrique Ribeiro, de 19 anos, filho de Solange Lindaura Moreira da Silva, uma das dez vítimas fatais do acidente envolvendo um ônibus da Viação Princesa Tecelã (VCA) e um trem na passagem da linha férrea do Centro de Americana. Após quatro anos de uma das maiores tragédias de Americana, ocorrida em 8 de setembro de 2010, nenhum familiar ou vítima recebeu indenização. As ações judiciais para ressarcimento por danos morais e lesão corporal seguem em tramitação na Justiça. Elas têm valores entre R$ 13 mil e R$ 200 mil.

Continuar lendo

ALL estende prazo de inscrições para seleção de trainee


ALL - América Latina Logística

Uma empresa operadora logística com base ferroviária prorrogou as inscrições para o processo de seleção do programa de trainee até o dia 5 de setembro. A América Latina Logística (ALL) seleciona em média de 15 a 20 pessoas dentre cerca de 18 mil inscritos. Os candidatos contemplados receberão salário compatível com o mercado, assistência médica e odontológica, alimentação, seguro de vida e participação nos resultados obtidos pela empresa.

Continuar lendo

Prefeitura assume área e antiga oficina de manutenção em trens


Preservação em IperóO projeto de transformar a estação ferroviária de Iperó num espaço multiúso para a realização de atividades de lazer, recreação, esportivas e de cultura entre outras, ganhou impulso com assinatura do termo de cessão ao Município do terreno com 60 mil metros quadrados de área e as instalações da antiga oficina de soldagem de trilhos que lá funcionava.

Durante reunião em Brasília com o coordenador geral de Patrimônio Ferroviário do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) José Luiz de Oliveira, o prefeito Vanderlei Polizeli (PSDB) consolidou a primeira parte do acordo firmado com a América Latina Logística (ALL) em março deste ano.
Continuar lendo